"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim." (Chico Xavier)

sábado, 20 de junho de 2009

'- Tentativas

Bem meus caros e minhas caras rs,após ter ficado um tempo longe deste palco,agora eu volto com mais palavras xDD...não vou me prolongar muito pq a minha vontade de escrever é bem mais forte do que a de esperar então vamos á elas..desfrutem =].




.12h:42m.

Eu queria ficar ali,só.Ali parada,olhando o nada.Olhando as sombras negras.Negras e transparentes.Olhando elas se moverem pelo caminho vermelho que se estendia diante delas.
Eu queria esperar.Esperar uma sombra de luz iluminar aquele caminho tão obscuro;embora tão cheio de uma única e errante cor.
Ao mesmo tempo que meus olhos se concentravam nos vestigios do que era para ser um dia ensolarado,minha mente estava ali bem próxima,em um lugar coberto...não tão seguro pra mim, porém estava lá.
Mesmo estando estagnada eu viajava.Viajava dentre lembranças,atos,datas,dias,palavras,gestos...simplesmente viajava.Viajava entre tudo o que eu julgava no mínimo importante para que eu enlouquecesse a cada dia,para que eu entregasse.
Aquele teto perigoso era o que eu mais temia,mesmo com meu corpo ainda ali,com movimentos curtos diante de um papel.
Todas aquelas luzes,aquela cor que não era mais única,os movimentos impessoais e imparciais confundiam ainda mais a minha mente.
Diante de meus olhos o túnel já tinha se corrompido mais de 5 vezes despejando luzes amarelas em meus olhos cansados,a hora passava e eu não me importava embora devesse,e muito.Seria mais um dia que eu desintegraria minhas prioridades no tempo,embora também não o devesse fazer.
Em frente a mim um enorme vazio completava a cena...o banco do local havia se tranformado numa cabine de confissões que eu me lembraria para todo o sempre..."tudo havia voltado ao seu lugar" e eu nunca pensaria que demoraria tanto tempo.De repente minhas mãos já estavam manchadas de palavras e meus olhos mais cansados e repletos de tinta e água salgada...a mesma que não se manifestava mais em frente ao nada que me rodeava.
Meus pés queriam se mover para aquele tal lugar que eu abominava,porém minha mente bloqueava todos os movimentos que julgava completamente insanos: nada que eu realmente desejasse seria feito.Mas será que aquilo estava realmente correto?Até porque,as vontades humanas não deveriam ser respeitadas até o seu limite?Mesmo com este pensamento eu ainda não faria nada,embora o ritmo dos meus batimentos me dessem a resposta oposta em um ritmo mais que acelerado;acelerado como nas manhãs em que minha mente me enganava ao perceber que eu acordava ofegante.
O tempo já havia passado novamente e nada que eu fizesse me movia daquele espaço mínimo.Enquanto isso,meu corpo estava frio,um pouco mais frio do que a temperatura do lado de fora de meu antro corporal.Dentro de mim haviam diversos sentimentos,cujos mesmos se embaralhavam com o tempo que eu havia gasto ali..e que eu havia decidido não mais perder.
Fora daquele lugar minúsculo eu via vidas.Vidas que talvez como a minha estivessem cido desperdiçadas,ou não.
Eu já havia tomado tantas decisões,porém nenhuma me afetara do modo que tinha de ser realmente.Eu tinha me tocado,finalmente havia chegado a conclusão final do que a música queria tanto me dizer durante tanto tempo,durante toda a minha vida.Eu me perguntava:Onde eu estava realmente?O que eu havia feito com o meu eu?Minha coragem,minha destreza,minha confiança?Toda aquela vontade intima de correr riscos?Do lado de fora,como todas as outras imagens que passavam como um flash,o meu verdadeiro objetivo se foi com o vento novamente,porém eu gostaria de estar lá.Estar lá,porém não no mesmo lugar,mas no lugar onde eu havia deixado todos os meus sonhos,meus anseios...queria estar no lugar que não seria seguro...queria estar onde o fantasma que eu tanto desejava encontrar e destruir estava solto sem nenhum pudor,queria estar junto de mim mesma..junto do meu eu.

.15h:47m.

2 comentários:

¿ ɐɥɔoɹ ɐןoןן disse...

volto triunfânte...
acompanho vc xeros.

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

assim como a idéia desse texto também sinto-me traída pelos meus proprios olhos.

vim aqui váaaaaaarias vezes, esperando um post como esse. vc demorou a bessa... *.*

valeu a pena.
Blog Suicide Virgin